Blog – Daniela Alves

Base de Dados sobre o Tráfico da Vida Humana

Descoberta rede de Tráfico de Órgãos no ORKUT e FACEBOOK da Índia

Posted by Daniela Alves em fevereiro 19, 2008


Foi descoberta na Índia uma rede de tráfico e venda de órgãos humanos pela internet alimentada por milhares de pessoas através das páginas de relacionamento Orkut e Facebook, bastante populares no país e entre indianos no exterior. As buscas partem de ambos os lados: aqueles que desejam comprar e aqueles que querem vender, principalmente para resolver problemas financeiros pessoais.
Através de uma investigação articulada pela agência indiana de notícias PTI, foram encontradas pelo menos 35 comunidades no Orkut, através das quais era possível procurar, negociar e comprar órgãos, sobretudo rins. Já no Facebook, milhares de pessoas encontram-se inscritas, mas ainda não foi possível fazer nenhuma estimativa de quantas o usam para o tráfico de órgãos.
A investigação, relacionada também com a polícia indiana, partiu primordialmente de um jovem estudante de informática, Santosh Kulkarni, que encontrou transações deste tipo pela internet.
Entre os investigados, está por exemplo um homem que, para superar as despesas médicas relativas à doença da irmã, resolveu colocar se próprio rim à venda, através do Orkut, pelo preço de aproximadamente 12 mil euros. Outro homem estava negociando seu rim para pagar as despesas de uma inseminação artificial em sua mulher, já que ela não pode ter filhos naturalmente.
Em todos os anúncios, de venda ou de compra, eram informados detalhes práticos, como número de telefone, endereço, email e até mesmo a possibilidade de receber serviços médicos como cadastros sanitários.
Algumas ofertas também se apresentavam escondidas atrás de ações filantrópicas, justamente para burlar as regras impostas pelas páginas de relacionamento. Em alguns casos, como Kulkarni pôde verificar, as pessoas propunham doar o próprio rim aos necessitados, mas se tratava de uma farsa para despistar a vigilância dos sites.
A administração do Orkut, interpelada pela agência, disse que mudou as regras dos grupos virtuais e tirou do ar aquelas micro-comunidades em que se podia verificar explicitamente a venda de órgãos.
O escândalo do tráfico de órgãos veio à tona há três semanas na Índia, quando a polícia prendeu um médico de Gurgaon, cidade-satélite de Nova Délhi, que executou milhares de extrações de rim em sua clínica particular — fornecidos por indianos de classe baixa — pelo preço de alguns mil euros, para depois revender os órgãos a estrangeiros.
O médico, que consegui escapar ao subornar os policias corruptos que o haviam preso, foi novamente detido no Nepal (onde também atuava), onde agora aguarda extradição. Hoje também foi preso seu irmão, cúmplice dos crimes. Na Índia, segundo uma lei de 1994, a venda de órgãos é proibida.

Fonte: ANSA

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: