Blog – Daniela Alves

Base de Dados sobre o Tráfico da Vida Humana

  • APP deste Blog para Celular

    APP para celular

  • ENQUETE – Serviço Consular Brasileiro: Você já precisou de auxílio urgente da embaixada ou consulado do Brasil e foi negligenciado(a)?

    CLIQUE ABAIXO E RESPONDA A ENQUETE ENQUETE - Serviço Consular Brasileiro: Você já precisou de auxílio urgente da embaixada ou consulado do Brasil e foi negligenciado(a)?
  • Conheça a campanha UNODC

  • Siga-me no Twiter

    Twiter
  • Crimes na Internet

  • Translator

  • Posts mais lidos

Denunciam à ONU por abuso de menores

Posted by Daniela Alves em maio 28, 2008


A ONG britânica Save the Children denunciou que garotos da África e América Central sofrem reiterados abusos sexuais pelas forças de paz internacionais, especialmente a ONU. O abuso “acresce e os esforços para proteger aos jovens são inadequados”, assinalou a agência Reuters.

Save the Children baseou seus dados em visitas ao Haiti, Sudão e Costa do Marfim durante 2007. Ali manteve 38 grupos de discussão com 250 crianças e 90 adultos. O estudo descobriu uma apavorante variedade de abusos: sexo por comida ou forçado, prostituição infantil, pornografia infantil e tráfico de
crianças.

Foram identificadas “crianças de até seis anos como vítimas de abusos, mas a maioria tinha entre 14 e 15 anos. Dos 38 grupos, 20 identificaram às forças de paz da ONU como possíveis suspeitos, mesmo com um total de 23 organizações associadas com casos de abuso sexual nos três países”, segundo a agência internacional.

“Nos pedem especialmente meninas de nossa idade. Geralmente são entre oito e 10 homens que compartilham a duas ou três meninas. Quando sugiro mais uma garota grande, eles dizem que querem uma menina pequena”, disse a Reuters um garoto de 14 anos que trabalha em um campo de forças de paz na Costa do Marfim.

Save the Children assegura que os abusos não costumam ser denunciados por medo de perder a ajuda material, a falta de informação sobre como denunciar e -sobretudo- a falta de confiança em uma resposta. Heather Kerr, diretora da organização na Costa do Marfim, disse à BBC < http://news.bbc.co.uk/hi/spanish/international/newsid_7420000/7420860.stm > que há pouco para apoiar às vítimas. “Estão sofrendo exploração e abuso sexual em silêncio”, assegurou.

Por sua vez, Nick Birnback, porta-voz da ONU, disse que era impossível garantir “zero incidentes” em uma organização com aproximadamente 200.000 pessoas ao redor do mundo, mas admitiu que “o que sim podemos fazer é transmitir uma mensagem de zero tolerância, o que para nós quer dizer zero complacência quando se fazem acusações críveis, e zero impunidade quando descobrimos irregularidades.

Sebastian Nguyen Perez
do Projeto Casa bolivariana de Tucuman

www.casabolivariana.blogspot.com
www.worldtv.com/casa_bolivariana_tv

Fonte: Notícia en español en http://groups.google.com/group/esclavitud-cero/browse_thread/thread/ca180d8f3559c945?hl=es

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: