Blog – Daniela Alves

Base de Dados sobre o Tráfico da Vida Humana

  • APP deste Blog para Celular

    APP para celular

  • ENQUETE – Serviço Consular Brasileiro: Você já precisou de auxílio urgente da embaixada ou consulado do Brasil e foi negligenciado(a)?

    CLIQUE ABAIXO E RESPONDA A ENQUETE ENQUETE - Serviço Consular Brasileiro: Você já precisou de auxílio urgente da embaixada ou consulado do Brasil e foi negligenciado(a)?
  • Conheça a campanha UNODC

  • Siga-me no Twiter

    Twiter
  • Crimes na Internet

  • Translator

  • Posts mais lidos

Denunciada por tráfico de mulheres tem prisão decretada

Posted by Daniela Alves em agosto 3, 2008


A Justiça Federal no Pará decretou a prisão preventiva de Carlaide do Socorro Alcântra Gonçalves, acusada pelo Ministério Público Federal no Pará (MPF/PA) por tráfico internacional de mulheres. Segundo o inquérito, Carlaide aliciou quatro mulheres brasileiras com a falsa promessa de empregos como trabalhadoras domésticas no Suriname. Na verdade, as vítimas eram levadas para trabalhar em boates de prostituição.

Três vítimas, dentre elas duas irmãs, teriam recebido de uma mulher não identificada proposta para trabalhar com serviços domésticos na residência de Carlaide, no Suriname. Ao chegar ao país, as mulheres foram recepcionadas pela acusada e levadas para umas das boates de prostituição, das quais a acusada era proprietária. Elas teriam que se prostituir para pagar as “despesas da viagem”.

A “dívida” foi só um dos métodos utilizados por Carlaide para restringir a liberdade das mulheres, conforme descrito na denúncia feita pelo procurador da República Ubiratan Cazetta: “A denunciada ainda deteve os passaportes e bilhetes aéreos de retorno das brasileiras e as manteve em cárcere privado por três dias, quando aproveitando da ausência da acusada fugiram”.

No outro caso relatado no inquérito, uma quarta vítima teria recebido a proposta diretamente de Carlaide para trabalhar como babá no Suriname, em janeiro de 2005. Ao chegar ao país, a vítima foi recepcionada pela gerente de umas das boates de Carlaide, que lhe informou que ela teria que trabalhar, na verdade, com prostituição. A vítima informou ainda que havia várias outras mulheres brasileiras trabalhando nas boates Buldog e Dragon, de propriedade da acusada.

Carlaide alegou, em depoimento prestado no consulado brasileiro no Suriname, que as mulheres eram gerenciadas por uma “amiga” no Brasil e que tinham conhecimento do “trabalho” que lhes seria destinado. Na ocasião, a acusada ainda devolveu os passaportes e bilhetes apreendidos das brasileiras.

Fonte: Tribuna News. Paraná

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: