Blog – Daniela Alves

Base de Dados sobre o Tráfico da Vida Humana

  • APP deste Blog para Celular

    APP para celular

  • ENQUETE – Serviço Consular Brasileiro: Você já precisou de auxílio urgente da embaixada ou consulado do Brasil e foi negligenciado(a)?

    CLIQUE ABAIXO E RESPONDA A ENQUETE ENQUETE - Serviço Consular Brasileiro: Você já precisou de auxílio urgente da embaixada ou consulado do Brasil e foi negligenciado(a)?
  • Conheça a campanha UNODC

  • Siga-me no Twiter

    Twiter
  • Crimes na Internet

  • Translator

  • Posts mais lidos

BLOG ACTION DAY!!!!

Posted by Daniela Alves em outubro 15, 2008


Este Post é dedicado ao Blog Action Day, um movimento social e humanitário que acontece nos 11.000 Blogs participantes do mundo todo! Este Blog é associado! Blog Action Day (Dia de Ação nos Blogs) é um evento anual não-lucrativo que tem como objetivo unir os blogueiros, podcasters e videocasters do mundo todo para postarem sobre o mesmo assunto no mesmo dia. O objetivo é gerar uma discussão global em que as opiniões e idéias de milhares de pessoas diferentes enfoquem um único tópico.

Educação, desenvolvimento e combate à pobreza

A relação entre educação e desenvolvimento já foi profundamente comprovada por órgãos nacionais, como o Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), e internacionais vinculados às Nações Unidas, como Cepal, Unesco e Unicef. Todos alertam para os riscos de não se investir na educação como condição para deter o aumento das desigualdades e o avanço da pobreza. O economista e sociólogo argentino Bernardo Kliksberg, a partir de dados do Cepal e do BID, demonstra esta relação analisando a situação da América Latina, onde a brecha de escolaridade entre os 10% mais ricos e os 30% mais pobres é de pelos menos sete anos de estudo. No caso do Brasil, um estudo do Ipea de 2002 demonstra que “o impacto de um ano extra na escolaridade média da população deve aumentar a taxa de crescimento anual da renda per capita em 0,35 ponto percentual.”

Entretanto, mesmo com todos os estudos comprobatórios, a relação entre educação e desenvolvimento ainda não foi assumida como premissa pelos governos brasileiros. Apesar de termos melhorado os indicadores de acesso de crianças e adolescentes à escola, ainda amargamos com indicadores que denunciam uma escola pública que retém com dificuldade o aluno e que em inúmeras localidades do país não consegue oferecer um conhecimento de qualidade. Constantemente nos deparamos com casos de crianças e adolescentes que, apesar de já terem concluído o ensino básico, ainda possuem profundas dificuldades de escrita, leitura e compreensão de textos simples.

Levar crianças, adolescentes e jovens para dentro da escola é um esforço fundamental que deve ser exercido não apenas pelos governos mas por toda a sociedade. Entretanto será um esforço em vão se não houver mudanças na qualidade do ensino oferecido por esta escola. Para isto acontecer é fundamental que a educação deixe de ser prioridade apenas nos discursos que antecedem as campanhas eleitorais e passe a ser prioridade no investimento de recursos. Atualmente o Brasil investe apenas 4,6% do PIB em educação. A Campanha Nacional pelo Direito à Educação estima que o investimento mínimo necessário deve ser de pelo menos 7%.

Garantir a qualidade na educação significa, além de melhorar os salários de professores, investir maciçamente na formação continuada destes profissionais e na construção de projetos políticos pedagógicos voltados para as necessidades e características específicas de cada comunidade escolar; investir na construção e equipamento de bibliotecas e salas de leitura com acervos variados e planos de incentivo à leitura; investir em laboratórios de ciências e informática e ações que ampliem o universo cultural do jovem e lhe permita produzir novos conhecimentos sobre sua vida e comunidade, garantindo assim, que os conhecimentos de sala de aula façam sentido na vida do aluno.

Não é mais possível pensar uma escola de qualidade cujas ações não estejam articuladas com a realidade de seus alunos. Segundo dados do INEP de 2004, na região da Baixada Fluminense, onde está concentrada 30% da população pobre do estado do Rio de Janeiro, mais de 80% dos jovens matriculados nas primeiras séries do ensino médio estão atrasados em relação a sua idade. Isto representa um grupo significativo de alunos, cuja característica principal é uma realidade econômica familiar que os obriga a se inserir o mais rápido possível no mercado de trabalho. Para estes alunos, é uma tarefa árdua concluir os estudos considerando todas as dificuldades do dia-a-dia.

Para os que conseguiram encontrar algum tipo de ocupação, a dificuldade é ainda maior. O cansaço do trabalho, o trajeto desgastante até a escola, a alimentação inadequada, somados a um ensino pouco atrativo que não dialoga com sua realidade e uma escola pública sucateada de equipamentos e recursos, faz com que muitos se sintam desestimulados e optem por abandonar os estudos. Por outro lado, esta massa de jovens que decide abandonar a escola ingressa em um círculo vicioso de subempregos que não lhes provêm o mínimo necessário para uma vida digna e acentua ainda mais as desigualdades sociais. Além de serem colocados à margem de melhores possibilidades de renda os jovens sem acesso a uma educação de qualidade ainda se colocam à margem do exercício de uma cidadania plena. O que para Markus Brose significa privá-lo da “participação na vida social, econômica e política.”

Entretanto, apesar deste quadro, é estimulante observar o esforço de muitas escolas públicas que como Dom Quixotes, tentam por meios próprios e na parceria com a comunidade lutar contra a má qualidade na educação. São inúmeros os exemplos e casos de escolas públicas que estão conseguindo melhorar indicadores de rendimento por meio de ações variadas que se fossem valorizadas e incorporadas às políticas públicas poderiam fornecer escala em seus resultados.

Observamos, assim, que muito do que precisamos em termos de inovação metodológica para melhorar a educação no país já foi produzido e o que falta apenas é um pacto nacional para garantir a priorização de investimentos. Um esforço não apenas dos governos federal, estaduais e municipais em rever suas aplicações orçamentárias , mas de toda sociedade em exigir esta priorização. Caso contrário, o desenvolvimento e o fim da pobreza serão eternas Dulcinéias por quem dedicaremos a vida em sonhos, mas a quem nunca conquistaremos em razão.

José Cláudio Barros é Coordenador do Programa Rio de Janeiro e Gerente de Programas da CARE Brasil.

Fonte: http://blog.care.org.br/2008/10/01/educacao-desenvolvimento-e-combate-a-pobreza/


Saiba mais

Bibliografia para consulta e referência:

Livros

KLIKSBERG, Bernardo. Falácias e mitos do desenvolvimento social. São Paulo: Cortez; Brasília , DF: UNESCO, 2001;

BARROS, Ricardo Paes de, HENRIQUES, Ricardo, MENDONÇA, Rosane. Pelo fim das décadas perdidas: Educação e desenvolvimento sustentado no Brasil. Texto para discussão 857. Rio de Janeiro: IPEA, 2002.

BROSE, Markus. Desenvolvimento Local. Uma conceituação empírica. Ijuí: Ed. Unijuí, 2004.

Sites

4. Campanha Nacional pelo Direito à Educação www.campanhaeducacao.org.br

Anúncios

Uma resposta to “BLOG ACTION DAY!!!!”

  1. silasgrecco said

    Ahhh que legal que vc participou!!! Show o post, cheio de informação que eu não sabia!! Valeu pelo comentário, o seu blog tb, informações bem precisas e agregadas.Linda a Imagem do post sobre a Amazônia da ONG repórter brasil, o artigo ainda não li tudo…

    Temos que sentar para falar do projeto, a Brasil Foundation abriu inscrições tb…

    Um beijo!!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: