Blog – Daniela Alves

Base de Dados sobre o Tráfico da Vida Humana

  • APP deste Blog para Celular

    APP para celular

  • ENQUETE – Serviço Consular Brasileiro: Você já precisou de auxílio urgente da embaixada ou consulado do Brasil e foi negligenciado(a)?

    CLIQUE ABAIXO E RESPONDA A ENQUETE ENQUETE - Serviço Consular Brasileiro: Você já precisou de auxílio urgente da embaixada ou consulado do Brasil e foi negligenciado(a)?
  • Conheça a campanha UNODC

  • Siga-me no Twiter

    Twiter
  • Crimes na Internet

  • Translator

  • Posts mais lidos

Crime organizado deve ser “minado”

Posted by Daniela Alves em outubro 17, 2008


A opinião é de Fletcher Baldwin Júnior, que proferiu palestra ontem no seminário em Campo Grande

Campo Grande – O diretor do Centro para Estudos de Crimes Financeiros Internacionais de Washington, Fletcher Baldwin Júnior, defendeu ontem o rastreamento de movimentações financeiras e de bens para desmantelar o crime organizado internacional.
Ele foi um dos palestrantes no segundo dia do Fórum Internacional de Justiça (FOR-JVS), no Centro de Convenções Arquiteto Rubens Gil de Camilo, com o tema “Domínio da Lei: um componente essencial da guerra financeira contra o crime organizado”.
Para Fletcher, a organização logística e tecnológica dos grupos criminosos exige o aperfeiçoamento de métodos por parte das polícias e governos, além de ações integradas.
“Mais de 90% do dinheiro lavado no mundo passa pelos bancos, que não podem ser punidos pelo que fazem seus clientes, mas podem desenvolver métodos que possibilite identificar ações criminosas”, disse.
“Uma coisa sabemos, que as organizações vão investir em Nova Iorque, Londres ou Paris, por exemplo, lugares que consideram estáveis, e não no Afeganistão”, analisou.
Segundo Fletcher, a mesma integração que possibilta rapidez nas operações financeiras deve também permitir investigações objetivas e mais apuradas sobre os grupos criminosos, o que na prática ainda não acontece. “Há uma série de relatórios, de balanços e estatísticas que não servem para nada”, disse.
Para o pesquisador, é fundamental envolver as instituições financeiras e as autoridades políticas no combate ao crime organizado internacional. “Nenhum banco vai querer ter seu nome estampado no jornal dizendo que é contra qualquer ação de combate à lavagem de dinheiro. E o banco pode ajudar muito nisso”, reiterou.
Em relação aos Estados Unidos, disse que o Congresso Nacional pode solicitar aos banqueiros levantamento sobre operações financeiras duvidosas, que poderia levar as autoridades a bens adquiridos de forma ilegal. “Depois disso, cabe aos tribunais federais julgar o que é ou não ilícito”, explicou.

Dever de todos
Quem já pensou para onde vai o dinheiro da venda de CDs e DVDs piratas ou de produtos contrabandeados? À primeira vista, destina-se ao vendedor, que muitas vezes não dispõe de outra ocupação, mas pode muito bem financiar o crime organizado.
Justamente por isso, a procuradora federal da Divisão Criminal – Departamento de Justiça dos Estados Unidos, Karine Moreno Taxman, defende a conscientização da população quanto a atitudes consideradas corriqueiras. O famoso “jeitinho brasileiro” pode ser visto com simpatia, mas também contribui com o crime organizado.
Karine ministrou ontem a palestra Importância da Investigação Voltada ao Alto Escalão das Organizações Criminosas, durante o 4º Fórum Internacional de Justiça.
Ela também defendeu mais dedicação, por parte das autoridades, à investigação envolvendo os chefes do crime organizado. “Ainda é mais comum e mais fácil prender o caminhoneiro que está transportando o CD pirata. Mas isso não acaba com o crime”, enfatizou. “As organizações criminosas não têm esse nome à toa, são mais organizadas que a polícia”, disse.
Para reverter esse quadro, Karine aposta na união de forças envolvendo população, que deve deixar de adquirir produtos ilícitos e denunciar ações criminosas, as polícias e o governo.

Fonte:  Jornal O Progresso

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: