Blog – Daniela Alves

Base de Dados sobre o Tráfico da Vida Humana

  • APP deste Blog para Celular

    APP para celular

  • ENQUETE – Serviço Consular Brasileiro: Você já precisou de auxílio urgente da embaixada ou consulado do Brasil e foi negligenciado(a)?

    CLIQUE ABAIXO E RESPONDA A ENQUETE ENQUETE - Serviço Consular Brasileiro: Você já precisou de auxílio urgente da embaixada ou consulado do Brasil e foi negligenciado(a)?
  • Conheça a campanha UNODC

  • Siga-me no Twiter

    Twiter
  • Crimes na Internet

  • Translator

  • Posts mais lidos

Convidados divergem sobre campanha contra tráfico de pessoas

Posted by Daniela Alves em dezembro 11, 2008


A chefe da coordenadoria do Enfrentamento ao Tráfico de Pessoas, da Presidência da República, Cyntia Bicalho Uchoa, anunciou hoje na Câmara que o governo fará uma grande campanha publicitária para alertar a população sobre o tráfico de pessoas. O anúncio foi feito durante audiência pública promovida pela Comissão de Seguridade Social e Família para discutir o Projeto de Lei 2845/03, que prevê a criação de um Sistema Nacional de Prevenção e Enfrentamento ao Tráfico de Seres Humanos, com ações articuladas do governo federal, dos estados e dos municípios.

O procurador da República, Daniel Resende Salgado, que também participou da audiência, criticou a iniciativa. Segundo ele, essas campanhas estigmatizam a mulher (que são as principais vítimas do tráfico internacional)e não atingem o público que deveriam atingir. “[Essas campanhas] acabam atraindo vítimas para o tráfico internacional de pessoas em vez de causar repulsa a essa prática”, disse Salgado.

Cyntia rebateu as críticas. Em sua avaliação, uma campanha bem feita chegará às vítimas do tráfico internacional sem estigmatizar as mulheres.

O procurador disse ainda que a principal dificuldade no combate ao tráfico internacional de pessoas é convencer essas pessoas de que elas precisam de ajuda. “Muitas vítimas não se reconhecem como vítimas, vêem o aliciador como uma pessoa que dá condições de melhoria das condições de vida”, afirmou. “Para as pessoas se sentirem como vítimas é preciso fazer uma campanha”, voltou a defender Cyntia Bicalho Uchoa.

Política contra o tráfico
Cyntia disse que, desde de 2006, o governo colocou em prática a Política Nacional de Enfrentamento ao Tráfico de Pessoas. Foram instalados, por meio de convênios, núcleos de enfrentamento ao tráfico de pessoas, nos estados do Rio de Janeiro, do Pará, de São Paulo, de Pernambuco e de Goiás. A idéia, segundo Cyntia, é implantar esses núcleos em todos os estados.

Esses núcleos são programados para coordenar as ações governamentais contra o tráfico de pessoas em locais onde esse crime é mais comum.

A deputada Gorete Pereira (PR-CE), relatora do PL 2845/03, afirmou que o tráfico internacional de pessoas, sobretudo de mulheres para prostituição, é um problema grave que precisa ser combatido pelo País. Para ela, a reunião de hoje foi uma boa oportunidade para conhecer as ações que o governo federal, o estados e os municípios estão tem adotado contra essa prática.

Fonte: Agência Câmara

Anúncios

2 Respostas to “Convidados divergem sobre campanha contra tráfico de pessoas”

  1. Prezada
    Daniela

    De acordo com o texto acima descrito por V.Senhoria., esta materia é excelente, pelo fato de que o assunto não está no silêncio. Quanto a campanha a mulher não será estigmatizadas. Infelizmente estás mulheres vítimas são pessoas que não tem coragem de gritar e dizer que não precisa deste tipo de trabalho para destacar – se na sociedade.
    Elas precisam serem orientadas para não frutificar um caminho desnecessário. Sendo objetos nas mãos daqueles que não valorizam o próprio ser Humano.

  2. ana said

    Daniela,
    Muito bem colocado. As campanhas precisam ser cuidadosas. O procurador da República nos faz um alerta de extrema importância. Creio que, realmente, estas campanhas podem só atingir a classe média e não chegar aos focos de potenciais vítimas do tráfico de pessoas. O Estado precisa se antecipar ao aliciador. Identificar os focos do tráfico e trabalhar com e pelas vítimas. O resgate da cidadania dessas mulheres (principais vítimas do tráfico de pessoas) é importantíssimo. A mulher vitimada, que vive em uma situação vunerável, não pode continuar a ser vista por ela mesma como uma coisa (o que se chama de coisificação). Precisa ter sua cidadania e estima resgatada. Parabéns ao Dr. Daniel Salgado, que vem, no Estado de Goiás, tentando realizar um trabalho de conscientização e repressão ao tráfico de pessoas.
    Ana

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: