Blog – Daniela Alves

Base de Dados sobre o Tráfico da Vida Humana

Posts Tagged ‘prostituição’

Rodovias de MS possuem 146 pontos de prostituição

Posted by Daniela Alves em outubro 21, 2008

As rodovias de Mato Grosso do Sul possuem 146 pontos de prostituição infantil. De acordo com a Procuradora chefe do Ministério Público do Trabalho, Simone Beatriz Assis de Rezende, esses números foram levantados pelo Comitê Estadual de Enfrentamento de Tráfico de Pessoas, formado em 2002 com objetivo de combater não só a prostituição envolvendo menores, como também o trabalho escravo e outros tipos de exploração de pessoas.

A procuradora apresentou esses números no Fórum Internacional de Justiça, que está sendo realizado em Campo Grande com a presença de autoridades de 40 países.

Durante o painel especial que trabalhou o tema: Tráfico de Crianças e Adolescentes, Combate à Pedofilia, Prostituição Infantil e Tráfico de Órgãos, presidido pelo desembargador Antônio Carlos Viana Santos, presidente da Seção de Direito Público do Tribunal de Justiça de São Paulo, a procuradora chefe explicou que vários organismos da sociedade (Polícias federal, civil e militar, entre outros) integram esse comitê que tem atuado arduamente no combate a esses crimes em Mato Grosso do Sul.

Exemplo disso, segundo ela, foi a ação articulada dos órgãos e entidades que resultou no resgate de 200 trabalhadores que viviam em regime de escravidão branca em uma fazenda no município de Rondonópolis.

Levantamenos desenvolvidos pala OIT – Organização Internacional do Trabalho, segundo Simone Beatriz, revelam que em 2005, por exemplo, 2,4 milhões de pessoas no mundo foram vítimas de tráfico. Destas, 43% por exploração sexual comercial; 32% por exploração econômica (incluindo as formas modernas de escravidão, como o trabalho escravo e o restante, outras formas de exploração das pessoas.

Não é à toa, segundo a procuradora, que o tráfico de pessoas e prostituição se enquadram como a 3ª maior forma mais rentável de crime. Em primeiro lugar está o tráfico de drogas e depois o comércio ilegal de armas.

Convênios Continue lendo »

Posted in Crime Organizado Transnacional, Tráfico de Crianças e Adolescentes | Etiquetado: , , | Leave a Comment »

Una presa dirigía una mafia de prostitución desde Wad Ras

Posted by Daniela Alves em outubro 15, 2008

No ha sido un golpe más. El dispositivo llevado a cabo el lunes por el Cuerpo Nacional de Policía y la Guardia Urbana no solo ha desmantelado una red de meublés en el Raval, sino que ha acabado con una mafia de trata de blancas de alcance europeo que, mediante células autónomas, se extendía por España, Rumanía, Irlanda, Italia, Bélgica y Francia. La delegación barcelonesa de esta organización, que funcionaba a partir de la alianza entre un clan familiar rumano y otro español, estaba presuntamente dirigida por una rumana, Laura Rizea, que ya se encontraba en la prisión de Wad Ras y que coordinaba la red desde su propia celda.
En Barcelona fueron detenidas un total de 44 personas, de las cuales 31 han ingresado en prisión acusadas de asociación ilícita, favorecimiento de la prostitución y explotación sexual. Los agentes también liberaron de las garras del grupo a 10 jóvenes, una de ellas menor de edad.
Una prueba de la naturaleza internacional de la organización es el hecho de que las jóvenes eran trasladadas de país en país según le convenía al grupo. De hecho, durante el pasado Ramadán, un periodo en el que en Barcelona suelen bajar los ingresos de esas chicas, la mafia trasladó a muchas de ellas a la localidad italiana de Bolonia y a Irlanda.

EL CAPO CAE EN BUDAPEST
La operación iniciada en el Raval se extendió hasta Bucarest, la capital de Ruma-
nía, donde fue detenido Ionel Rizea, alias Codrut, el máximo cabecilla de la red. Rizea tenía a sus órdenes a individuos que se dedicaban a captar, mediante engaños, a chicas jóvenes de extracción social muy pobre, sobre todo en la región rumana de Pitesti. En algunos casos, los captadores convencían a las muchachas mediante regalos y con la promesa de un empleo en España. En otros, llegaban incluso a simular que las que-
rían y se hacían pasar por sus novios para doblegar su voluntad y empujarlas a viajar a España. Después vendían a estas mujeres al grupo.
Según descubrió la policía, las chicas empezaban a trabajar a las nueve de la mañana y no finalizaban la jornada laboral hasta altas horas de la madrugada. Estaban obligadas a realizar un mínimo de 12 servicios al día, siempre bajo el férreo control de una supervisora. Para asegurarse su rendimiento, los miembros de la mafia las amenazaban e incluso las agredían.
Las chicas cobraban 30 euros por servicio; de ellos, 20 eran para la red y los 10 restantes para un individuo paquistaní que proporcionaba los meublés. Según han calculado los responsables de la investigación, la cé-
lula barcelonesa de esta red ingresaba unos 120.000 euros mensuales.

‘NO’ DE HEREU A UNA MORATORIA
La operación del Raval ha llevado al alcalde de Barcelona, Jordi Hereu, a anunciar que descarta que los clubes de alterne puedan beneficiarse de una moratoria de la aplicación de la normativa municipal sobre locales de pública concurrencia. “Ciertos fenómenos globales que se basan en la explotación de unos sobre los otros se encontrarán con un combate sin contemplaciones en la ciudad de Barcelona”, aseguró ayer.

Fonte: EL Periodico Extremadura

Posted in Tráfico de Mulheres | Etiquetado: , , , , | Leave a Comment »

MADAGÁSCAR: Visitantes sim, turismo sexual não

Posted by Daniela Alves em outubro 15, 2008

Os pôsteres de advertência começam no aeroporto da capital, Antananarivo, a informar aos visitantes que Madagascar diz “NÃO ao turismo sexual”e que “mulheres malagaxes não são souvenirs de viagem”.

Grandes cartazes a informar aos que chegam que as autoridades irão processar aqueles que forem pegos praticando sexo com crianças acompanham o caminho para a cidade, e em hotéis turísticos – junto a um pôster colorido que diz “Bem-vindo a Madagasikara – a terra dos lémures” – é provável que haja um aviso de que o hotel tem o direito de verificar a idade de qualquer pessoa que acompanhe os hóspedes aos seus quartos.

Madagascar, a grande ilha tropical na costa leste da África, está a tentar sair do mapa de turismo sexual, e especialmente a fechar as portas para os pedófilos à procura de menores.

Para enfatizar o compromisso, o governo adoptou uma nova lei contra a exploração sexual de menores que inclui punição dos exploradores adultos; como resultado, diversos estrangeiros foram condenados.

Mas um passeio à noite pelas ruas de Toliara, uma cidade turística que está a prosperar no sul de Madagascar, mostra que ainda há muito a ser feito. Profissionais do sexo dominam as ruas, a jogar beijos e acenar para os estrangeiros, na tentativa de lucrarem com os turistas que não estão a visitar essa empobrecida ilha do Oceano Índico pela sua biodiversidade única.

“É um lugar muito barato, as mulheres são bonitas, há pouco controle do turismo sexual. Ninguém diz nada a respeito; pode-se vir aqui e fazer o que quiser” disse Jose Louis Guirao, que gere projectos da Bel Avenir, uma organização não-governamental (ONG) que promove iniciativas sociais e relacionadas a educação e saúde. “As mulheres começam quando têm 10 a 12 anos; são muito novas.”

Um relatório realizado pelo Departamento de Estado dos EUA este ano afirmou que Madagascar era um “país onde mulheres e crianças são traficadas para os propósitos de exploração sexual”, mas elogiou o governo por estar a tentar acabar com o problema.

A realidade

A realidade é que as crianças, em geral nas áreas rurais, são altamente vulneráveis à exploração: são traficadas para escravidão doméstica, trabalho forçado e trabalho sexual. As crianças muitas vezes entram no mercado de trabalho com a aprovação das mães, para quem sua renda pode ser a única fonte de sustento. Na Província de Toliara, por exemplo, 80 por cento das pessoas vivem na pobreza.

''Nós aceitamos qualquer cliente que houver porque precisamos do dinheiro. Eu não digo ´não´, mas a menina que consegue o cliente loiro, francês ou americano, é a que tem a melhor sorte.''

Bruno Maes, representante em Madagascar e nas Comores do Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF), é categórico na sua condenação da exploração sexual de crianças.

“Uma criança que é vítima de abuso sexual pode sofrer consequências sérias e para a vida inteira; é um crime que é totalmente inaceitável em todos os contextos. A UNICEF tem consciência da sua disseminação em Madagascar”, disse.

No escritório da Bel Avenir, Aline, uma profissional do sexo, participa de uma reunião com suas colegas, algumas das quais trouxeram seus filhos, para saber mais sobre seus direitos, oportunidades futuras e protecção.

Aline faz piadas e brinca com os preservativos distribuídos pela ONG, mas fica séria quando fala sobre seu trabalho. “Nós aceitamos qualquer cliente que houver – precisamos de dinheiro. Eu não digo não, mas a menina que consegue o cliente loiro, francês ou americano, é a que tem melhor sorte”, disse ela. “Muitos estrangeiros vêm para Toliara e ficam com meninas. Eles gostam de Madagascar, mas gostam ainda mais das meninas mais jovens.”

Os principais países de onde vêm os turistas sexuais são França, Itália, Espanha, Alemanha e Suíça, e as ilhas vizinhas Maurícias e Reunião. As vítimas em geral são meninas, mas registos de turistas estrangeiros homens à procura de meninos menores de idade está a tornar-se mais frequente.

Grupos militantes dizem que progresso está sendo feito na luta contra o turismo sexual, mas o controlo é difícil por causa da corrupção, e até mesmo protesto dos pais das crianças – prostituição é frequentemente uma ocupação hereditária passada adiante para as próximas gerações.

Madagascar até agora foi muito menos afectada pela SIDA do que a maioria dos países da África continental, mas organizações internacionais advertem que isso pode mudar rapidamente. “A completa falta de conhecimento sobre a doença, segundo o que vejo aqui, significa que em breve pode ser muito, muito pior”, afirmou Guirao, da Bel Avenir.

Um rápido crescimento económico relacionado aos projectos locais de mineração atraiu profissionais do sexo do outro lado da ilha para as novas cidades, e uma epidemia de sífilis na cidade de mineração Fort Dauphin no sudeste em 2007 foi alarmante: apontou para a escassez de uso do preservativo, além de que infecções sexualmente transmissíveis aumentam o risco da transmissão de HIV.

Ao ser questionada sobre o uso de preservativos dados pela Bel Avenir, Aline disse: “Muitos clientes não querem usar, e dão dólares ou euros, então concordo em não usar. Assim é a minha vida em Madagascar”.

Fonte: IRIN.

Posted in Tráfico de Crianças e Adolescentes, Tráfico de Mulheres | Etiquetado: , | 1 Comment »

CAPITAL DAS MERETRIZES

Posted by Daniela Alves em outubro 6, 2008

Não está ficando fácil estancar o crescimento da prostituição e pedofilia no Brasil. Nem mesmo ás campanhas e ação policial contra quem explora o comércio sexual de menores e adolescentes está surtindo efeito. Há lugares que a prostituição fugiu do controle das autoridades. O que fazer? É o que todos indagam!

Brasília, a capital da República, está sendo apontada como a capital das meretrizes, a começar já na pouca idade. O Correio Braziliense, o mais importante órgão de imprensa da capital divulgou uma reportagem que é de arrepiar os cabelos. Meninas que chegam em casa do colégio nos fins de semana partem logo para a “viração”, como elas mesmo denominam a prática sexual.

Elas residem em Planaltina de Goiás. Em pouco mais de meia hora estão em estão Brasília. Antes da viagem, as meninas tomam banho e trocam os uniformes por roupas de passear: saias, shorts e blusas coloridas ou de alcinha. Até domingo, a casa delas será a Rodoviária do Plano Piloto, onde vendem balas e chicletes aos passageiros que esperam nas filas. Na mesma plataforma onde ganham o sustento para as famílias, elas são exploradas sexualmente. “Por R$ 3, os moços mexem na gente”, diz Ana Paula, uma das meninas. Mexer é tocar no corpo e fazê-las praticar sexo oral. Ela tem 9 anos. As outras duas têm 9 e 11 anos, respectivamente.

A reportagem do Correio Braziliense descobriu que a realidade dessas três crianças se tornou comum no coração da capital do país, e a Rodoviária do Plano Piloto, localizada na avenida do poder brasileiro, virou palco da exploração sexual dessas menores. Nos três dias em que moram na Rodoviária, as três amigas ficam expostas a todos os tipos de violação de direitos garantidos no Estatuto da Criança e do Adolescente. São exploradas, trabalham até altas horas da madrugada, dormem, embaixo de uma marquise cercada de lixo, de latas de solvente e de bebidas. Não têm acesso a lazer, proteção e alimentação adequadas. Apesar disso, não se enxergam como vítimas. Para conseguir R$ 30, é necessário vender três caixas inteiras de chiclets, o que exige muita sorte para um dia de trabalho. Além dos trocados que ganham, as meninas são exploradas em troca de pratos de comida, como canja de galinha, ou salgados vendidos nos quiosques da plataforma inferior da rodoviária. Entre os exploradores estão comerciantes da região, compradores de vale-transporte e passageiros do Distrito Federal e do Entorno. Continue lendo »

Posted in Tráfico de Crianças e Adolescentes | Etiquetado: , , | Leave a Comment »

Petróleo, corrupção, prostituição e impunidade

Posted by Daniela Alves em maio 23, 2008

A operação ‘Vorax’, da Polícia Federal, atingiu em cheio um dos maiores esquemas de corrupção do estado do Amazonas. Coari, o segundo município amazonense mais rico, por conta da exploração do petróleo, se transformou num antro de corrupção envolvendo a administração do prefeito Adail Pinheiro. O valor desviado, segundo relatório da PF, é praticamente impossível de ser calculado, mas estima-se que milhões de reais foram desviados. O esquema, do qual faziam parte familiares do prefeito, envolvia 150 empresas de construção civil. Recentemente, o prefeito Adail foi acusado de fraudar até a certidão negativa do INSS para continuar recebendo repasses federais.

Nos últimos anos, as denúncias contra Adail passaram a ser rotina. É estranho, no entanto, o comportamento dos órgãos encarregados de fiscalizar a aplicação dos recursos públicos em relação a Coari. De concreto, consta apenas uma fiscalização da Corregedoria-Geral da União (CGU), no ano passado, que apurou prejuízo superior a R$ 7 milhões envolvendo recursos de convênios federais e de receitas dos royalties.

A investigação da PF, no entanto, revela que o esquema de corrupção é muito maior e mais grave do que se imaginava. Usava-se dinheiro público para pagar garotas de programas, algumas delas menores de idade. É o cúmulo da malversação de recursos do contribuinte.

Desde que foi iniciada a exploração de petróleo no campo de Urucu, Coari transformou-se numa cidade rica. Mas essa riqueza ficou restrita à prefeitura e ao grupo que está no poder. A população não foi beneficiada. Na cidade, cresceram os índices de prostituição, o desmatamento, a violência e o tráfico de drogas. Todos esses problemas poderiam ser bem menores e menos graves se a corrupção naquele município não chegasse a níveis epidêmicos. A Polícia Federal sabe que todo esquema de corrupção era comandado pelo prefeito, que continua solto por gozar de foro privilegiado. É mais uma excrescência da legislação brasileira, que só estimula a corrupção nas instituições públicas.

Diário do amazonas

Posted in Debates | Etiquetado: , , | Leave a Comment »

Eurocopa 2008: prostituição não deve aumentar

Posted by Daniela Alves em maio 22, 2008

Notícia enviada por um leitor do blog: https://blogdanielaalves.wordpress.com/2008/03/10/comeca-campanha-contra-trafico-de-mulheres-na-eurocopa/#comment-107

Eurocopa não deve provocar um aumento da prostituição, seja ela legal ou forçada. Essa é a conclusão de autoridades helvéticas e organizações de ajuda, que não identificaram nenhum movimento anormal no mercado.

“Os homens estariam mais interessados em assistir aos jogos de futebol”, constata Jacqueline Suter, que trabalha para a Associação Xenia de Berna, um centro de informação para mulheres que trabalham na prostituição. Suas fontes dizem que o mês de junho, quando será disputada a Eurocopa, deve atrair mais mulheres para a prostituição, mas que elas não estarão em número suficiente para expandir ou criar novas áreas de meretrício.

“É muito difícil fazer uma previsão”, esclarece Christoph Zingg, que trabalha em um grupo de apoio semelhante na Basiléia. “Talvez venham algumas mulheres do Leste Europeu, mas não estamos seguros”.

Zingg ressalta que a forte presença policial nos dias do torneio pode inibir a prostituição a céu aberto e também o movimento de clientes potenciais nas ruas.

Menos vistos para as dançarinas

Os cabarés suíços também não devem ter mais movimento. As polícias em Berna, Basiléia, Zurique e Genebra ainda não registraram um aumento significativo de pedidos de vistos para dançarinas (ler reportagem anexa “Orientação para estrangeiras com permissão de dançarina de cabaré, o visto “L”).

“Não estamos tendo a impressão de que a prostituição esteja crescendo”, reforça o porta-voz da Polícia de Genebra, Eric Grandjean, acrescentando que os agentes devem vigiar com atenção esse meio. Continue lendo »

Posted in Tráfico de Mulheres | Etiquetado: , , | Leave a Comment »

Justiça bloqueia contas de dono de prostíbulo que tem ligações com quadrilha que liberava empréstimos do BNDES

Posted by Daniela Alves em maio 19, 2008

 O Ministério Público Federal (MPF) em São Paulo pediu na última sexta-feira e a Justiça determinou o bloqueio dos valores de cinco contas correntes do construtor Manuel Fernandes de Bastos Filho e de três pessoas ligadas a ele. O empresário, que está foragido, é réu no processo criminal aberto para apurar os crimes da quadrilha investigada na Operação Santa Tereza, da Polícia Federal, que investiga esquema de prostituição, tráfico de mulheres e fraudes em empréstimos do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES).

Dono do prostíbulo WE, Bastos Filho é apontado pelo MPF como líder tanto da quadrilha de prostituição e tráfico interno de mulheres, quanto do esquema que cobrava e dividia comissões em empréstimos junto ao banco de fomento. O acusado está fora do alcance da Polícia Federal desde 24 de abril, quando a operação foi deflagrada. Segundo relatório recebido pelo MPF, as contas do construtor e de três pessoas ligadas à ele sofreram movimentações atípicas, que indicam que o acusado pode estar dilapidando o patrimônio obtido com as atividades ilícitas e mascarando sua origem. O relatório aponta movimentações superiores a R$ 500 mil nas contas-correntes da mulher de Bastos Filho e nas de duas pessoas que receberam aportes diretamente das contas dela.

As movimentações atípicas demonstram a ligação do construtor com essas pessoas e foram registradas entre janeiro e o início de maio deste ano, poucos dias após a operação policial. Por conta disso, a procuradora da República Adriana Scordamaglia pediu o bloqueio dos valores em regime de urgência. Os interrogatórios do processo da Operação Santa Tereza estão marcados para os próximos dias 21 e 26 de maio na 2ª Vara Criminal Federal de São Paulo, especializada em lavagem de dinheiro e crimes financeiros.

Fonte: O Globo Online

Posted in Tráfico de Mulheres | Etiquetado: , , | Leave a Comment »

Europa tem 75 mil prostitutas do Brasil

Posted by Daniela Alves em maio 19, 2008

Em ruas de prostituição de Genebra, na Suíça, português é língua corrente. Nos classificados de jornais europeus, apresentar-se como “brasileira” costuma render mais clientes e programas mais caros. Não por acaso estrangeiras fingem ser do País para competir pela atenção dos homens.

Estimativas da Organização Internacional de Migrações (IOM), agência ligada à ONU, apontam quase 75 mil prostitutas brasileiras trabalhando hoje na Europa. E esse número só cresce. “Espanha, Holanda, Suíça, Alemanha, Itália e Áustria são os principais destinos”, diz a entidade. E o total de mulheres que deixam o Brasil é bem superior ao de homens. Na Itália, dos 19 mil brasileiros vivendo legalmente no País em 2000, 14 mil eram mulheres. O número elevado de prostitutas contribui para a diferença.

Dados do governo espanhol apontam existência de 1,8 mil prostitutas brasileiras no país e 32 rotas de tráfico de mulheres. Muitas usam Portugal como porta de entrada e praticamente todas chegam ao continente com documentos falsos.

Reportagem do jornal escocês Scottish Daily Record apontou envolvimento de cerca de cem gangues e grupos mafiosos no tráfico de sul-americanas à Europa. E, uma vez lá, elas são mantidas, até de forma violenta por causa de dívidas, pelos agentes que facilitaram suas viagens. “Quando fui trazida para a Europa, nem sabia onde ficava a Suíça. Sabia apenas que ia ganhar muito dinheiro porque aqui os homens gostam da gente. Banqueiros suíços adoram brasileiras”, conta, orgulhosa, a cearense Daisy.

O número de brasileiras é tão grande que algumas chegam a cargos de chefia em associações locais. Edna da Silva foi eleita na quinta-feira integrante do Comitê Executivo da Aspasie, entidade que luta pelos interesses das prostitutas em Genebra. “Tenho 49 anos e saí do Brasil com 20 para trabalhar na indústria do sexo. Nunca vi tanta brasileira trabalhando no ramo como agora. Há uma leva impressionante.”

Algumas chegam a montar casas de prostituição. Em Zurique, um edifício de três andares no bairro do Paquis é ocupado por 40 brasileiras. Elas pagam aluguel simbólico pelos quartos e têm alimentação no local – uma cozinheira baiana garante feijoada aos sábados. Mas são obrigadas a deixar pelo menos metade do que recebem nas mãos da dona, um travesti.

Segundo a Organização Internacional do Trabalho (OIT), o tráfico de pessoas para exploração sexual transformou-se num dos negócios mais rentáveis do mundo – US$ 28 bilhões por ano. Nas próximas semanas, uma campanha suíça combaterá o tráfico de latino-americanas. Segundo a imprensa local, elas estariam sendo contratadas por R$ 100 mil para casar com supostos terroristas de Bangladesh para garantir-lhes visto. A denúncia foi feita por uma ex-prostituta brasileira.

Fonte: O Estado de São Paulo

Posted in Tráfico de Mulheres | Etiquetado: , | Leave a Comment »

Autoridades britânicas realizam operação contra bordéis de Londres

Posted by Daniela Alves em abril 22, 2008

A Polícia britânica resgatou 60 mulheres, prendeu 15 pessoas e realizou buscas em 19 locais em uma operação contra bordéis de Londres que operam pela internet.

Segundo fontes da Scotland Yard, mais de cem policiais que investigam uma rede de prostituição e tráfico de mulheres participaram da operação.

Autoridades locais afirmaram que ainda esperam resgatar cerca de 60 estrangeiras supostamente forçadas a se prostituir.

Cerca de 30 delas foram transferidas para um centro especial que conta com intérpretes, agentes de saúde e especialistas em técnicas de interrogatório para crimes de caráter sexual.

A Scotland Yard acredita que a rede usa uma agência da internet que oferece serviços de acompanhamento feminino para seus clientes.

Fontes da Polícia revelaram que a rede controlava diretamente as mulheres, mas também atuava junto com intermediários entre as prostitutas e os clientes.

Segundo o superintendente da Polícia Metropolitana de Londres, Ian Dyson, a prostituição pela internet é um problema cada vez mais grave.

Fonte: EFE Londres

Posted in Tráfico de Mulheres | Etiquetado: , , , | Leave a Comment »

Operação prende três mulheres acusadas de manter casas de prostituição no interior do Ceará

Posted by Daniela Alves em março 31, 2008

Três mulheres foram presas em flagrante na noite de sexta-feira (29) em Juazeiro do Norte e em Crato acusadas de manter casas de prostituição. Uma das mulheres, Lucélia Ferreira dos Santos presa em Crato, ainda foi acusada de tráfico de seres humanos. As outras duas mulheres, Francisca Zildelene Ferreira e Josefa Zilderlândia Ferreira, são irmãs e foram presas em Juazeiro do Norte.

Nas três casas de prostituição eram mantinhas cerca de 30 garotas com idade entre 18 e 25 anos.

As prisões foram realizadas em uma operação conjunta do gabinete de Gestão Integrada (GGI), Polícia Militar, Polícia Civil, Agência Brasileira de Inteligência (ABIN) e Escritório de combate ao tráfico de seres humanos.

A pena para o crime de tráfico de seres humanos varia de três a oito anos e no caso de manter casa de prostituição de três a cinco anos.

Fonte: O Povo

O QUE DIZ A LEI

Casa de prostituição
Artigo 229: manter, por conta própria ou de terceiro, casa de prostituição ou lugar destinado a encontros para fim libidinoso, haja, ou não, intuito de lucro ou mediação direta do proprietário ou gerente. Pena: reclusão, de dois a cinco anos, e multa.

Tráfico interno de pessoas
Artigo 231-A: promover, intermediar ou facilitar, no território nacional, o recrutamento, o transporte, a transferência, o alojamento ou o acolhimento da pessoa que venha exercer a prostituição. Pena: reclusão, de três a oito anos, e multa.

Fonte: Código Penal (Decreto-Lei nº. 2.848 de 7 de dezembro de 1940)

PRINCIPAIS ROTAS DO TRÁFICO

Fortaleza-Mossoró (RN)
Mossoró-Juazeiro do Norte
Iguatu-Quixadá
Fortaleza-Recife (PE)
Rio de Janeiro (RJ)-Fortaleza
Picos (RN)-Fortaleza

As rotas funcionam nos dois sentidos.

Fonte: Escritório de Combate e Prevenção ao Tráfico de Seres Humanos e Assistência à Vítima (TSH)

Posted in Tráfico de Mulheres, Tráfico de Pessoas | Etiquetado: , , , , | Leave a Comment »